Zoneamento Ecológico-Econômico Preliminar

Paulo Afonso recebe a última audiência pública da etapa 2014 do ZEE

24/03/2014

O Governo do Estado da Bahia, através das Secretarias do Meio Ambiente (Sema) e do Planejamento (Seplan) promoveu, nesta sexta-feira (21), no município de Paulo Afonso a última audiência pública de 2014, visando discutir o Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE). Cerca de 60 pessoas, entre autoridades do poder público, setor econômico e sociedade civil, estiveram presentes no hotel auditório do Belvedere, onde foi sediado o evento.

Para o chefe de gabinete do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), José Ivaldo de Brito Ferreira, que representou o secretário da Sema, Eugênio Spengler, dentro de toda essa complexidade ambiental, econômica e social que o ZEE busca ser um instrumento no sentido de orientar as ações e planejamentos do desenvolvimento sustentável no estado da Bahia.

“Nós vivemos hoje em uma sociedade onde o crescimento econômico tem provocado uma superexploração dos recursos naturais e, consequentemente, criado enormes problemas para a população. Essa exploração de forma desordenada tem gerado uma escassez desses recursos naturais, então precisamos disciplinar e organizar de um modo que esses recursos sejam recuperados e preservados, evitando a degradação””, disse Ferreira, completando que “por outro lado existe boa parte da sociedade que ainda não está incluída devidamente, por diversos motivos, dentro desse contexto”.

A promotora da área ambiental do Ministério Público da Bahia (MP-BA), Luciana Khoury, ressaltou a importância da participação da população em relação às questões ambientais. ““É muito importante prestigiarmos esses espações de discussão, pois eles são de fundamental importância. Não existe nada que se construa sem um verdadeiro debate e uma verdadeira transparência. É isso que exigem todos os nossos mandamentos e nossas normativas, em relação a toda e qualquer implementação de ação concreta, sendo que no ZEE não é diferente””, ressaltou a promotora.

Já o superintendente de Planejamento Estratégico da Secretaria do Planejamento da Bahia, Ranieri Muricy, exaltou o conhecimento obtido ao longo das atividades do ZEE e comentou que existe muita coisa que pode ser colocado em pratica. ““Neste processo de elaboração, construção e implementação do ZEE nós não somos mais os mesmos. Digo isso porque após diversas audiências, discutir com conselhos, entidades públicas e privadas, obviamente que vamos acumulando conhecimentos que não estavam sendo abordados no instrumento, mas serão abordados nessa trajetória””, disse.

Fonte: Ascom/Inema

  • Próximas Audiências

    • Nenhum evento